segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

DESEJAR A MORTE DO PRÓXIMO É PECADO?














Hoje abordarei um tema religioso, o que é sempre garantia de mistério, polêmica e punição. É difícil saber o que Jesus curte ou não, e todos parecem estar obcecados em agradá-lo. Bom, sabemos que sexo anal e punheta não costumam fazer muito sucesso nessa vibe de Deus e tal. Ontem mesmo li a Bíblia e me entediei com a falta de sexo sem reprodução. Mas na Bíblia com certeza há muitas mortes. O Novo Testamento é todo baseado numa morte importante, que inclusive no final das contas foi uma coisa boa pra gente, que não tivemos que nem apanhar, e no final ainda nos livramos dos nossos pecados! Então agora é só curtir a vida, né? Já rolou o tal sacrifício pela gente, coisa e tal. Mas não. Cuidado com o sexo anal. Cuidado com a punheta. E cuidado com a morte. Não entendeu?

Por exemplo, você já torceu para que alguém morresse? Ou melhor, quantas mortes você já desejou hoje? É natural. Como quando você fica de suplente em um vestibular ou concurso e torce para que as 849 pessoas mais bem colocadas que você morram de repente. Como quando você tem que buscar alguém na rodoviária no dia do último capítulo de “Lost” e torce para que o motorista seja um vegetariano radical e jogue o ônibus de uma ribanceira em cima de um curral para mostrar que seres humanos são tão mortais quanto bois, enquanto come um bife de soja e grita palavras de ordem. Como quando você tem que ligar pra alguém e pedir um favor, mas está com vergonha, e aí você torce pra que a pessoa que pode te fazer o favor morra, mesmo que isso signifique que você vai perder o favor, o que daria no mesmo que você simplesmente não telefonar, mas se a pessoa morrer você não estaria perdendo o favor porque não quis pedir, mas porque a pessoa morreu, e assim você não se sentiria culpado, por mais paradoxal que isso possa parecer. Se até Jesus que era um cara super fera já morreu por você, por que um zé mané não poderia fazer o mesmo?

Afinal, torcer para uma pessoa morrer não contribui para a morte de ninguém, não é mesmo? Nossos pensamentos não contribuem para a concretização dos acontecimentos. As pessoas que acreditam no poder do pensamento normalmente também acreditam em gnomos, então você tem que pensar bem antes de fazer parte desse clube. Você teria que se vestir como um hippie exotérico que lê livros do Paulo Coelho mas tem vergonha de admitir, porque é legal meter o pau no Paulo Coelho mesmo que nunca se tenha lido nada dele, nem nada melhor que ele, ou nada de ninguém. Mas é claro que você é diferente. Como aquela vez em que você estava “zapeando” pelos canais de TV e por acaso ficou assistindo a novela. Você é diferente, você tem um distanciamento crítico. Mas você não tinha reparado como o Tiago Lacerda ficou bem com aquele reflexo no cabelo... e de repente você começa a se tocar e sua mente voa.

Ou como aquela vez em que você estava no dentista e por acaso pegou uma revista “Contigo” porque estava cansado de esperar. De repente você começou a se sentir tão envolvido nos acontecimentos das vidas das celebridades... é como se você os conhecesse... como se eles fossem seu amigos... e você sabe o que é melhor pra eles! E você não consegue admitir que o Dado Dolabela tenha sido tão cafajeste com a Luana Piovani e agora tenha se dado tão bem na vida... Deus não poderia permitir isso... é óbvio que ela está sofrendo!... Você chega em casa e escreve uma carta pra ela, mas não sabe pra onde mandar... então você escreve o nome dela com um prego enferrujado na sua barriga, e o nome dele no seu ante-braço, e mistura o sangue vindo dos dois nomes. Agora tudo vai ficar bem.

Almeida nunca torceu para que você morresse.