terça-feira, 9 de março de 2010

ENTREVISTA COM RODRIGSON ALEXSANDERSON


Por Frotinha do Armelóque.

Se Deus me disse “desce e arrasa com a mulherada na noitada”, pro craque Rodrigson Alexsanderson na certa Ele mandou uma pála na moral: “Meu filho, vai lá e esculacha com os magrinhos no gramado!” Pois não é nada menos que o jovem atleta de 38 anos vem fazendo desde que despontou na última temporada do campeonato capixaba. Depois de rápidas passagens pelo Andirá do Acre, Ivinhema de Mato Grosso do Sul, Atlético Cajazeirense da Paraíba e pela terceira divisão do campeonato nigeriano, Rodrigson vem desequilibrando na série B do Capixabão e promete dar ainda muita felicidade para a nação Araraíense. Quem entende de futebol tá ligado no que eu tô falando. Quem não entende tem mais é que tomar uma surra de pau mole pra largar essa pederastia de lado, tá ligado?

Se liga. O Brasil é um celeiro de craques do gramado, tem que respeitar. Eu nunca entendi muito bem essa parada de celeiro de craque. Celeiro não é aquele galpão onde se guarda cavalo e faz filme pornô? Mas se o Renato Mauricio Prado falou, quem sou eu para discordar de um intelectual do esporte desse gabarito. Enfim, Rodrigson é seleção! “É raça, amor e paixão”, como diria o célebre filósofo Niltão da Raça. Quem não aparece não é visto, quem não é visto não é lembrado e Rodrigson tá com um recall maior que pipoca quente na porta de cinema. Tá ligado? Olho nele Dunga, senão o pau vai comer pro teu lado parceiro! Tá ligado no tamanho da trolha zulu que vai pintar pro teu lado.

Então demorou. Tô vazando igual furúnculo, valeu? As biscates não param e meu Nextel só falta explodir de tanto vibrar. Fui!

Frotinha do Armelóque, 37, é carioca e consultor esportivo da Quase. É ex-bodyboarder do Leme, ex-surfista de Saquarema, ex-lutador de jiu-jitsu da Carlson Gracie, ex-jogador de futebol de areia de Copacabana, ex-jogador de altinha de Ipanema, ex-nadador da Urca, ex-jogador de Futevôlei do Pepê, ex-marombeiro da Radar e atualmente dedica-se ao espancamento ocasional de empregadas domésticas e travestis.