terça-feira, 27 de abril de 2010

LEI VELHO CAGADO LANÇA “PROGRAMA ESTERILIZAÇÃO DAS ESTRELAS”















Para alguns artistas, não basta apenas destruir nossas vidas com suas obras e performances. Seus anseios por se eternizar também se manifestam sob a forma da perpetuação de sua herança maléfica.

Através de seus órgãos reprodutivos, espalham de forma inconsequente seus genes nocivos pelo país, semeando e perpetuando o sofrimento do povo brasileiro, numa chuva ácida de esperma sem sustância artística, ovulando e multiplicando talento mediano.

Zezé di Camargo e Wanessa Camargo, Xororó e Sandy & Júnior, Baby Consuelo e suas filhas de nome esquisito, Jair Rodrigues e Jairzinho, Chico Anysio e seus filhos que ninguém sabe o nome, Gilberto e Preta Gil, Fábio Jr e Cléo Pires, Rita e Beto Lee, Carlos Eduardo e Dado Dolabella, Xuxa e Sasha, Romário e a filhinha do Romário. A lista é extensa e seus danos culturais, incalculáveis.

A medicina moderna tem avançado no que diz respeito a prever quando uma criança, ainda no ventre da mãe, sofrerá de síndrome de down ou problemas no coração, mas ainda estamos na estaca zero em relação a detectar e impedir, o quanto antes, que nasça uma Sandy ou uma Wanessa Camargo. No máximo dá pra dizer se a criança em questão será ou não filha do Chico Anysio, mas não podemos mais nos contentar com isso.

Primeiramente, é preciso enfrentar esta limitação científica de frente e saber que, ao menos num futuro próximo, seria apenas uma utopia esperar que um médico possa alertar uma gestante com as palavras libertadoras “Sinto muito, mas infelizmente a sua filha sofre de uma... hã... bem, ela é a Preta Gil. Pela Lei Velho Cagado, 2010, parágrafo 15, somos obrigados a abortar a criança”.

Seria sonhar demais. A Lei Velho Cagado acredita nos seus sonhos, mas prefere agir com os pés no chão. Por isso, o programa “Esterilização das Estrelas” pretende cortar o mal pela raiz, impedindo que artistas sequer fecundem úteros inocentes, se reproduzindo e monopolizando todo o mercado em meia dúzia de famílias.

Se você acredita em um futuro melhor, mas não sabe como ajudar, simplesmente dê dinheiro pra gente. Débora Secco, André Marques, Toni Garrido, são todos férteis e perigosos. Até o Carlos Alberto de Nóbrega continua se reproduzindo, como um vírus que desafia a ciência. E serão os seus filhos que herdarão este futuro.

E se você acha este tipo de intervenção imoral e prefere não dar o seu apoio, tudo bem. Mas mantenha o número da nossa conta ao seu alcance, talvez você mude de ideia ao assistir ao trailer do novo filme estrelado pela filha do Renato Aragão.